Select the Language

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Canadá

No ano de 2006 resolvi conciliar a viagem de férias a um curso de idiomas. A maioria das agências de intercâmbio que consultei, sugeriram o Canadá. As escolas eram boas e o custo-benefício melhor ainda que alguns outros países. Após algumas pesquisas optei por Toronto. O esquema era ficar hospedado em casa de família e viver a rotina do lugar. As aulas aconteceriam de segunda a sexta na parte da manhã, isto é, teria a parte da tarde  livre para fazer turismo. Achei esse proposta muito interessante e resolvi entrar de cabeça.


Toronto

Toda preparação foi auxiliada por uma amiga que é dona de uma agência de intercâmbios. Primeiramente era decidir a escola. Como a intenção era aprimorar o inglês, queria uma escola que tivesse poucos brasileiros (se é que isso é possível) e poucos adolescentes. Após muitas pesquisas descobrimos a International House.Uma escola menor, e muito bem localizada. Tinha um foco em estudantes jovens e adultos e isso me interessou. Depois tínhamos que escolher onde ficar. As opções eram apartamentos alugados, algumas repúblicas, alojamento em escolas e casa de família. A sugestão de casa de família é sempre dada pelas agências, pois alegam que você vive a rotina daquela casa e pratica mais o inglês. Sugestão dada, sugestão aceita. Fizemos a reserva em uma casa de família e conheceria as pessoas com quem moraria um mês apenas quando chegasse em Toronto. O custo do curso de inglês foi de 1200 dólares americanos. É exigido o visto para brasileiros que queiram ir para o Canadá. Existem vistos para estudantes, turismo e negócios. A embaixada fica em São Paulo e é lá que os vistos são emitidos. Não é necessário entrevista pessoal como para os Estados Unidos, logo, um serviço de despachante resolve bem a vida. No site www.despachatur.com.br é possível ter mais informações.

Meu vôo para Toronto saía do Rio de Janeiro com conexão em Miami ( 8 horas e meia do Rio a Miami, mais 3 horas de Miami a Toronto). O mês era julho, período de verão no hemisfério norte. Toronto possui aproximadamente 4 meses de verão. Nesses meses os dias são muito longos (escurece após as 22:00hs). O inverno canadense é muito rígido e os dias muito curtos, podendo escurecer por volta das 16:00 hs. Por esse motivo a população tenta aproveitar cada minuto do dia no verão e a cidade literalmente se transforma. São tantos festivais, eventos, exposições, shows e outras atrações acontecendo na cidade, que fica difícil escolher para onde ir. As pessoas estão sempre na rua se divertindo e aproveitando o que a cidade tem para oferecer.


Fim de tarde em Toronto


Cheguei em Toronto por volta das onze da manhã do dia 02 de julho de 2005. A imigração foi muito tranquila. Como estava cheio de bagagem (afinal ficaria 1 mês), decidi logo pegar um táxi até o endereço que ficaria. Lembro que paguei uma grana preta, porque o aeroporto ficava bem longe de onde ficaria hospedado. Chegando na casa, fui recebido por um senhor com aproximadamente 80 anos chamado Hugo. Ele era de nacionalidade americana, havia sido do exército e combatido na guerra. De cara pensei: aff, isso não vai dar certo. Saí do conforto da minha casa para ficar em um lugar com uma rotina militar???. Na sequência me apresentou sua esposa (na verdade sua segunda esposa): uma Thailandezinha simpática de nome Wilma, que tinha um inglês que eu não entendia absolutamente nada.


Sra Wilma fazendo pose pra foto!

A casa era enorme. Tinha 3 andares, sendo que no sub solo uma mega estrutura com lavanderia, academia, sala de jogos etc. No térreo a sala de estar, a cozinha, o quarto do casal e uma piscina na área externa. No segundo andar 5 quartos com escrivaninha e guarda-roupas próprios e uma biblioteca comunitária. No corredor existiam 3 computadores. Foi aí que descobri que teria 4 colegas de casa. Cada quarto tinha um outro estudante, porém pelo horário estavam todos em aula. Contei um pouquinho da minha história, ouvi um pouquinho da deles mas como estava cansado da viagem, pedi licença para tirar um cochilo.


Entrada da casa onde fiquei hospedado.

Acordei no final da tarde e desci para me ambientar um pouco mais. Foi aí que comecei a conversar mais com o Sr Hugo. Ele me explicou algumas regras básicas da casa sendo que a mais rígida era que fazia questão da presença de todos em casa às 18:00 hs em ponto para jantarmos juntos. Se esta era a mais rígida fiquei feliz, porque inicialmente tinha pensado que viveria em um "quartel"!!! Outra regrinha básica era que não devíamos entrar calçados na casa. Devíamos deixar nossos sapatos na entrada e andar sempre de meias ou chinelos. Achei legal e ainda hoje tento fazer isso na minha casa. Disse "tento".

Minha conversa com o Sr Hugo foi extremamente agradável e sua esposa veio me dizer que  nunca tinha visto ele se comunicar tanto com um estudante. Geralmente a relação era puramente comercial, mas comigo tínhamos conversado de tudo. Acredito que por  já ter 33 anos naquela ocasião, pudemos ter uma conversa mais madura e isso interessou o Sr Hugo. Os outros estudantes eram adolescentes e provavelmente a conversa mais superficial.

Por volta das 17:30 os outros estudantes foram chegando e fui sendo apresentado a eles. Uma mexicana, dois sul coreanos e um chinês. Às 18:00 hs em ponto, sentamos à mesa e fomos jantar. Seria um momento agradabilíssimo se não fossem os sul coreanos com seu hábito de comer de boca aberta e fazendo muito barulho para demonstrar que estão apreciando a comida. A mexicana logo olhou para mim já percebendo meu espanto e soltou uma risadinha que logo captei o significado. Acabei me acostumando e passado alguns dias isso não mais me incomodava. Acho que essa é a grande mágica das viagens: conhecer culturas e hábitos diferentes e não julgá-los, apenas aceitá-los. Após o jantar, fomos para o lado de fora da casa conversar. Foi aí que me deram todas as dicas, já que eles estavam ali há pelo menos dois meses. Comecei a gostar muito da experiência que me aguardava pelas próximas 4 semanas.


Jantar em casa.

No dia seguinte acordei cedo e fui tomar café da manhã. O Sr Hugo já me aguardava na cozinha e me explicou que o café cada um fazia o seu, e que naquele primeiro dia ele me acompanharia até a escola para me ensinar como chegar e entregar uma espécia de "carta de admissão" na secretaria. Depois de ter tomado café ele tirou um tuppeware (não sei se é assim que se escreve) da geladeira e me entregou. Lá dentro tinha meu almoço que tinha sido preparado pela Dona Wilma, sua esposa, na noite anterior. Achei aquilo engraçadíssimo!!! Ter alguém preparando meu almoço para levar para a escola!!! Voltei à adolescência e não estava sabendo rsrsrs.

Logo em frente à casa, tinha que pegar um ônibus que me levaria até uma estação de metrô. Nos pontos dos ônibus existe o horário que cada um passa e a pontualidade era incrível. Não existia atraso nunca. O tempo até a estação do metrô era de aproximadamente 10 minutos. Depois de metrô mais uns 10 minutos até a estação Wellesley, onde eu desceria. Da estação à escola eram umas 3 quadras caminhando. As turmas começavam toda segunda feira e no primeiro dia você faz uma prova escrita e uma entrevista oral para que seja definido seu nível de inglês e você seja encaixado em uma turma que seja compatível com ele.

Gostei muito da escola escolhida. Estava bem alinhado ao que tinha pedido e atendeu muto as minhas expectativas. Na minha sala não tinha nenhum brasileiro e a faixa etária bem misturada, sem predominância de nenhuma idade. Eles fazem questão de misturar as nacionalidades o máximo possível em cada sala. Foi ótimo porque além dos orientais (que realmente estão em toda parte), minha sala também tinha 1 francesa, 1 alemão 2 mexicanos e 1 Italiano. Já de cara fiz amizade com um mexicano chamado Javier. Um cara batalhador que estava no Canadá tentando aprimorar seu inglês e como não tinha família com recursos, na parte da tarde trabalhava na rua entregando panfletos de uma mega academia da cidade. Virou meu companheiro pelo mês todo que fiquei em Toronto. Seu projeto era ficar de 6 meses a 1 ano, logo quando voltei ele permaneceu por lá.

Colegas de classe


Tentei viver uma rotina de um típico cidadão Canadense, pois essa era a proposta.  Minha rotina consistia em acordar cedo, ir à aula, fazer um lanche rápido (na primeira semana não conseguia mais comer o almoço da Sra WIlma), ir à academia (me matriculei em uma unidade da YMCA), almoçar e na parte da tarde explorar a cidade de Toronto, que confesso é fantástica. Às vezes até ajudava o Javier na entrega dos panfletos, para terminar mais rápido e podermos curtir a cidade.

Colonizada pela Inglaterra, Toronto é a capital da província de Ontário e é banhada pelo lago também de nome Ontário. Considerada uma das cidades mais multiculturais do mundo, além de ser a maior e mais importante cidade do Canadá, é também a capital financeira do País. É uma cidade bem desenvolvida, onde tudo funciona muito bem, além de ser limpa, segura e extremamente bela. A temperatura média gira entre
 -8ºC como mínima e 26ºC como máxima..

Vou listar alguns pontos de interesse a ser visitado em Toronto:

CN Tower: considerada a maior torre do mundo, possui 553 metros, o equivalente a um prédio de 180 andares. No topo tem-se uma vista fantástica da cidade além de várias atrações. Possui um mirante com o piso de vidro! Os elevadores são tão rápidos que chega-se ao topo em 40 segundos. Bem ao lado da CN Tower está o Skydome. Esse famoso estádio foi o primeiro do mundo a ter um teto retrátil, o que vem bem a calhar para o clima de Toronto.


Javier e CN Tower ao fundo


Skydome

Casa Loma: é um dos pontos turísticos mais visitados de Toronto. A casa na verdade mais parece um castelo. Construída entre 1911 e 1914 por um dos maiores empresários de Toronto, o Sir Henry Mill, para ser sua residência, possui 98 cômodos decorados com obras de arte do mundo todo. As mobílias são as originais. Os jardins estupendos. Existe uma passagem secreta que leva até os estábulos. O proprietário morou nesse castelo apenas por 10 anos. Depois faliu e teve que vender a propriedade!!!


Casa Loma


Interior Casa Loma


Canada´s Wonderland: Para quem gosta de parques de diversão, não pode perder este. Possui mais de 200 atrações para todas as idades além de um parque aquático. Fica um pouco afastado do centro, porém possui ônibus diariamente. Prefira ir no meio da semana para não ter que enfrentar quilométricas filas para os brinquedos. Maiores informações: www.canadaswonderland.com


Entrada Canada's Wonderland


Canada's Wonderland


Parques: Toronto possui muitos parques maravilhosos e no verão as pessoas os desfrutam diariamente. Fazer um piquenique na grama com os amigos é um passatempo delicioso. O High Parque é enorme e muito bonito. No inverno montam uma big pista de patinação no gelo.


High Park


Museu Real de Toronto: O maior museu do Canadá foi inaugurado em 1914 e abriga uma coleção de aproximadamente 6.000.000 de objetos divididos em áreas como paleontologia, mineralogia, zoologia e geologia.

Museu Real


Lago Ontario: no verão é a região mais agradável de Toronto. Muito utilizado para a prática de esportes náuticos este lago se torna a praia da população principalmente nas várias ilhas que o lago abriga. Todo entorno do lago é maravilhoso. À sua margem no Harbourfront Centre, existem várias lojas, restaurantes, cafés e no verão é montado um palco que exibe diversos espetáculos de música. Um charmoso bondinho percorre vários pontos da cidade e tem várias paradas ao longo desta região.


Stonehenge com Lago Ontário ao fundo.


Lago Ontário e ilhas ao fundo

Palco para espetáculos


Bondinhos que circulam pela cidade. 


Niágara Falls: As famosas cataratas formada pela queda d'água do Rio Niágara, divide o Canadá dos EUA (mais precisamente o Estado de Nova Iorque com a Província de Ontário). Obviamente muito menores que as cataratas do Iguaçú não deixam de ser um espetáculo surpreendente da natureza. É possível pegar um barco e ir até a base da queda d'água. Eles fornecem uma espécie de capa de chuva, mas não se iluda, você irá se molhar!!! A vista do lado Canadense é infinitamente mais bonita que do lado americano e à noite os holofotes instalados dão um toque especial na paisagem. No entorno das cataratas, no lado Canadense, foi construído um complexo de entretenimento gigante. Cassinos, lojas de souvenires, lanchonetes famosas como Plante Hollywood, museu do guiness, cinemas, teatros, enfim uma mini Las Vegas está instalada ali. Geralmente o passeio é feito em um dia, porém a sensação de que não se viu tudo é inevitável. Existe um complexo hoteleiro excelente caso queira ficar hospedado na cidade. Os ônibus para as cataratas saem diariamente do centro de Toronto. Não é necessário pagar por uma excursão. Você pode comprar uma passagem normal pela manhã e voltar no final da tarde. Se quiser aprofundar na hitória, a internet está aí para isso. Pegue o dinheiro que ia gastar com o guia da excursão e guarde para as refeições. Tudo é muiiito caro.


Catarata do Niágara

Niágara Falls

Niágara Falls


Outro passeio que não tive a oportunidade de fazer mas todos que conheci e foram se encantaram é a parte francesa do Canadá. Toronto está muito próximo de Otawa, Montreal e Quebec e todos dizem serem cidades maravilhosas. Portanto se tiver tempo, acho que vale colocá-las no roteiro.

Como Toronto também está muito perto dos EUA, eu optei por passar alguns dias em Nova Iorque e Boston. Madonna estava em turnê mundial do show Confessions on a dancefloor, e esta turnê não viria ao Brasil. Consegui comprar um ticket do show em Boston e lá fui eu assitir. Uma amiga brasileira tinha uma sobrinha que morava na cidade e fiquei hospedado em sua casa. Convenci ela e seu marido e fomos os três ao show. Apesar do público ser muito comportado comparado ao brasileiro o show foi Fantástico e eu aproveitei muito. Depois fui a Nova Iorque visitar um amigo e voltei a Toronto. Minha ida foi de ônibus (cia rodoviária greenhouse) e durou 8 horas. Voltei de avião em 50min.


Madonna's Concert

Compras Toronto tem muitos shoppings centers além de bairros famosos por suas quinquilharias como Chinatown. Devido ao rigoroso inverno, Toronto tem uma cidade subterrânea que consiste em vários túneis galerias e passagens por baixo dos prédios conectando as estações de metrô, lojas, shoppings, cinemas, escritórios etc. O Eaton Center era meu shopping favorito, primeiro porque era central, segundo porque tinha um pool de lojas completo e terceiro porque a praça de alimentação era ótima.


Eaton Center

Noite: Ahhh Toronto. Muitas foram as noites de diversão nessa cidade. Fizemos uma turminha bem baladeira e nossos finais de semana não tinham hora para acabar. Toronto tem várias boates bacanas e a maior e mais eclética delas é a The Guvernment. Enorme, muito grande mesmo, com uma música eletrônica da maior qualidade comandada pelos Top Djs do mundo, jatos de fumaça gelada para deixar o ambiente sempre agradável, dançarinas e dançarinos performando e levantando a galera, orientais enlouquecidos na pista de dança, muita gente bonita e uma iluminação de primeira!!! É a única boate que não fica no centro de Toronto. Ela está localizada próximo ao lago Ontário (www.theguvernment.com). A noite de Toronto se concentra próximo a estação Wellesley do metrô (a mesma que descia diariamente para ir à escola). A região é também o bairro onde o público gls se concentra, mas como todo país de primeiro mundo, todas as tribos se encontram e se respeitam. É impressionante como a cidade ferve à noite e todas as pessoas estão nos mesmos lugares. A impressão que tive é que esses 4 meses de verão são encarados como os últimos meses da vida e que deve ser aproveitado a cada minuto.


Entrada The Guvernment



The Guvernment


O metrô de Toronto pára à meia noite e depois disso entra em ação o famoso Blue Night. Este ônibus circula a noite inteira e percorre toda Toronto. Cada viagem dentro do Blue Night depois da balada era um evento à parte. Como todos utilizam o ônibus, inúmeras foram as vezes que a festa continuou dentro dele e várias amizades foram feitas ali. O percurso era longo mas não tínhamos pressa nenhuma em chegar!!!


Papai Noel de sunga resolve fazer flexão no Blue Night!!!



Escola em Toronto
International House
469, Jarvis Street
Tel +1 416 332 3405
info@ihtoronto.com
www.ihtoronto.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário