Select the Language

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Espanha, Suíça e França

Passaram-se 4 anos entre a primeira e última viagem internacional até então....
Estava eu em uma livraria de um shopping center olhando alguns títulos aleatoriamente, quando me deparo com um livro que narrava a viagem de um turista  feita de trem pela França. Comecei a folhear aquele livro despretensiosamente, e quando dei por mim, já havia lido aproximadamente 1/3 do livro sem me dar conta. E olha que não era um livro fino. Fiquei maravilhado com a história e decidi: Também queria ir à França e andar de trem por aquelas terras.  O ano era 2001 e comecei a me preparar para fazer esta viagem em 2002.

Pensando sobre a viagem comecei a pesquisar quais países visitar. Pela proximidade dos países Europeus, queria aproveitar a oportunidade e conhecer outros  além da França. Tenho um amigo que sempre teve o sonho de conhecer Barcelona e sua fascinação por esta cidade me fez optar por colocá-la em meu roteiro. 

Estava decidido: Espanha e França. Porém, depois da leitura daquele livro, não poderia ir só a Paris. Sua narrativa contava sobre viagens em um trem com grandes janelas de vidro, de onde era possível contemplar lindas paisagens dos brancos Alpes... Me lembrei que ele descrevia uma cidadezinha ao pé do Mont Blanc chamada Chamonix e novamente comecei a estudar o roteiro. Foi aí que resolvi incluir a Suíça e passar por Chamonix, fazendo então parte daquela rota que fiquei tão maravilhado através da leitura. De Chamonix a Paris, existia uma cidade que sempre ouvia falar: Lyon!!! Quem nunca ouviu falar da ópera de Lyon? Claro que também a incluí. Agora sim, o roteiro estava fechado: Barcelona - Genebra - Chamonix - Lyon - Paris.

Comprei as passagens chegando em Barcelona e voltando de Paris. Os trechos internos faria de trem e os compraria nas estações por onde passasse.


BARCELONA 

Minha viagem aconteceu em abril de 2002. Havia reservado um albergue em Barcelona chamado Center Ramblas (para quem está indo no esquema albergue, eu indico). Chegando no aeroporto de Barcelona me informei qual era a melhor forma de se chegar ao centro. Para minha alegria era mesmo o metrô. Estava receoso de ter que pegar um táxi e logo de cara já ser explorado por um taxista querendo ganhar dinheiro nas costas de turista (coisa de brasileiro...). Fui até a estação Liceu, que fica no centro das Ramblas (aliás o nome se dá devido ao teatro Liceu que é um lugar maravilhoso para se assistir a um concerto e/ou outro gênero de espetáculo). Desta estação ao alberque foram cerca de 5 min caminhando. 

Fui muito bem recepcionado no albergue. Dividia o quarto com mais 3 pessoas (2 beliches) e tínhamos nosso locker individual dentro do quarto. O albergue era muito limpinho e sua posição era estratégica porque ficava a um quarteirão de uma das avenidas mais famosas da cidade: As Ramblas. Esta avenida possui um comércio intenso e a maior concentração de turistas da cidade. É nela que aqueles artistas de rua com suas fantasias super criativas ficam horas imóveis aguardando o depósito de uma moeda, para aí sim, apresentar sua performance. Aqui vai uma dica, falada pelos próprios catalãos: Nunca comam em um restaurante nas Ramblas. Além de caro, a comida é péssima. Pena que eu só soube disso após ter me aventurado a comer uma típica Paella, que realmente levou muitos dos meus preciosos Euros e mais parecia aqueles pratos congelados que compramos em supermercados. 

A temperatura em Barcelona nesta época do ano é bem agradável. Não está nem frio nem quente demais. Para nós brasileiros o clima nesta época é mais frio do que estamos acostumados, porém super agradável. 

Barcelona fica em uma região da Espanha chamada Catalunya que fica na parte nordeste. Nesta região fala-se o castelhano e o catalão. É muito comum se ver as pessoas mais idosas conversando em catalão, bem como os filhos conversando com seus pais, porém no dia a dia o castelhano é mais falado.

Diferente de Madrid, que possui uma característica espanhola muito marcante, Barcelona é uma cidade cosmopolita. Todas as línguas são faladas por aqui e todos se entendem perfeitamente. Para todos os lugares que se olha em Barcelona, a arquitetura chama a atenção e o autor de várias dessas obras fantásticas é arquiteto catalão Antoni Gaudí. 

No meu primeiro dia, fui conhecer uma das obras primas de Gaudi: O Parque Güell. Pela linha 3 do metrô se chega a este parque, porém aconselho chegar bem cedinho, hora que a multidão de turistas ainda não invadiu o parque e pode-se contemplar com mais detalhes tamanha beleza. A arquitetura curva, e o mosaico de cores são característicos neste parque. Dentro do parque também é possível visitar a casa onde Gaudí habitava e que hoje se transformou em um museu. Um passeio imperdível. 

                                            
Parque Güell


                                         
Parque Güell
Parque Guell
                                                      
Parque Guell
                                                        

Depois do parque Güell estava muito ansioso para conhecer a Sagrada Família. Esta obra inacabada de Gaudí é um dos cartões postais mais famosos de Barcelona e eu particularmente possuía uma imensa curiosidade em conhecer. Foi interessante, porque desembarquei na estação "Sagrada Familia" do metrô (linha 2 ou 5), sem saber onde estava localizada a catedral. Saí andando meio que sem rumo e quando me dei por mim, vi seu portão ao meu lado. Comecei a olhar para cima lentamente e parecia que as torres não teriam fim. Foi uma sensação maravilhosa. Claro que como um bom turista enfrentei uma imensa fila para entrar e subir em uma das torres da catedral. Confesso que é uma sensação um pouco claustrofóbica, porque as escadas são em espiral e quanto mais você sobe, menores vão ficando os degraus. Ok, passada a sensação desagradável, você é premiado com uma bela vista da cidade!



Sagrada Família
Sagrada Família
                                                             


À noite resolvi conhecer as baladas espanholas e confesso que são umas das melhores baladas do mundo. Dei sorte que nesta primeira noite conheci um catalão que ficou meu amigo e até hoje o é. Nos dias seguintes pude contar com sua boa vontade para me mostrar um pouco mais de sua cidade. O bairro denominado Eixample é onde se concentra boa parte da vida noturna da cidade. Algumas das boites que mais bombam na cidade são: Metro, Arena, Salvation entre outras. Todo verão surgem novas boites e fecham outras, mas estas citadas já resistem há um bom tempo e sempre com um público interessante. 

No dia seguinte fui conhecer o "Passeig de Gracia". Essa larga avenida é conectada com as Ramblas através da  Plaza Catalunya e é uma avenida com várias lojas de grife (Channel, Salvatore Fergamo, Gucci, Dolcce & Gabanna etc etc), além de outras duas obras primas de Gaudí: A Casa Batló e a Casa Milá (também conhecida como "La Pedrera"). Aconselho conhecer o interior da Casa Milá. Além de poder visitar o interior de um dos apartamentos, também é permitido subir na cobertura, que é especialmente decorada. Satisfação garantida.



Passeig de Gracia

                                                  

La Pedrera
                                                    


Casa Batló
                                                      

Outro programa imperdível em Barcelona é ir ao Palácio Nacional. Uma larga avenida liga a Plaza de Espanha (estação espanha do metrô) ao Palácio. Esta avenida é toda margeada por fontes belíssimas finalizando no grande Palácio Nacional que é uma arquitetura incrível. Em frente ao Palácio existe uma fonte que aos finais de semana dão um espetáculo à parte. Ao som de músicas de todos os ritmos ocorre a dança das águas nesta fonte. Aconselho  ir à noite porque o show de luzes completam o espetáculo. Chequem antes os horários que ocorrem, mas se não me engano o intervalo é de meia hora entre cada apresentação.


Palau Nacional

                                                                                                    
Palau Nacional



                                               
O bairro olímpico de Barcelona é uma prova de que pode-se transformar uma cidade positivamente quando se recebe um evento deste porte. Uma região que era quase abandonada foi transformada em uma cidade olímpica de encher os olhos. 

Anel Olímpico de Barcelona


O bairro gótico e suas catedrais estupendas dão um charme especial a Barcelona. Caminhe por este bairro sem rumo e deixe-se surpreender pelo clima mágico deste lugar. A maioria das ruelas são muito estreitas e lotada de turistas. Várias lojas, bares e restaurantes estão no bairro gótico. Não deixe de visitar a famosa Catedral Santa Maria del Mar. Sua arquitetura gótica é deslumbrante! 

Catedral Santa Maria Del Mar - Bairro Gótico

A parte mais alta de Barcelona é o bairro de Montjuic. No alto existe uma catedral muito charmosa e um parque de diversões muito antigo, porém o que mais vale é a vista desta cidade incrível.

Mirante do Montjuic


Comer em Barcelona é muito barato. Vários são os restaurantes que oferecem o menu do dia. Você geralmente pode escolher entre 2 menus oferecidos naquele dia. O menu é composto por entrada, prato principal e sobremesa. Além do bom preço, você certamente terá uma deliciosa refeição. Peça sem medo de errar o vinho da casa para acompanhar. Você estará tomando um bom vinho. Eu como um bom brasileiro no primeiro almoço em um restaurante pedi uma coca cola e o garçom me trouxe aquela garrafinha mini. Fiquei intrigado com aquilo e quando saí do restaurante perguntei a meu amigo o porquê daquela garrafinha pequena. A explicação foi que apenas as crianças têm o hábito de pedir refrigerante nas refeições... todos costumam almoçar tomando vinho. Novamente percebi que estava realmente na Europa. Ah, outro detalhe: não pense que no final da refeição cada um entregará seu cartão de crédito para pagar sua parte da conta. Ou paga-se em dinheiro ou apenas um cartão para pagar a conta toda. Vivendo e aprendendo.....

No verão, as praias da cidade se enchem de pessoas querendo aproveitar os poucos meses de calor intenso. Nao se assuste se ver as pessoas completamente nuas na areia. Por lá isso é comum. Se estiver em Barcelona no verão não deixe de dar um pulinho em uma cidade chamada Sitges. Fica próximo a Barcelona de trem (menos de uma hora) e é um point no verão, com seus bares super descolados e pessoas bonitas. Se quiserem curtir mais ainda, sugiro Ibiza. Porém sobre esta cidade comentarei mais em outro post, já que só fui conhecê-la em 2009.

Ainda hoje agradeço ao meu amigo de tanto falar para mim de Barcelona. Se não fosse por ele, talvez não tinha incluído esta cidade no meu roteiro e certamente teria perdido a oportunidade de conhecer uma das melhores cidades do mundo. (Já voltei a Barcelona 4 vezes).




Albergue em Barcelona:
Center Ramblas
Calle Hospital, 63
reservas: reservas@center-ramblas.com

Site mapa metrô Barcelona:



GENEBRA

Após 5 dias desfrutando da capital catalã, estava na hora de partir. Peguei um trem noturno que saía da estação central de Barcelona com destino a Genebra. O trem parava nas seguintes cidades: Girona, Portbou, Cerbere, Monpellier, Lyon e por fim Genebra, sendo que em Cerbere havia uma troca de trem. A viagem durou aproximadamente 10 horas e os vagões repletos de jovens mochileiros viajando pelo mundo. A passagem de primeira classe custava aproximadamente 95 euros e a de segunda aproximadamente 64 euros.
Cheguei em Genebra em uma manhã muito gelada e com muito nevoeiro. Tinha planejado ficar em Genebra por uns 4 dias, mas achei a cidade tão chata que fiquei apenas 2. Além do mais, a Suíça não tinha adotado o Euro, e tudo tinha que  ser pago em Francos Suíços. Além de tudo ser caro, o câmbio não estava favorável. O que tenho a dizer sobre Genebra é que é uma cidade muito linda, porém onde nada acontece. As lojas deixam as mercadorias expostas na rua, porque possuem a certeza que ninguém as roubará. Por esta mesma certeza, ciclistas também deixam suas bicicletas nas ruas para entrarem em lojas e/ou edifícios. A arquitetura é maravilhosa e existem vários lagos pela cidade que dão um toque de charme na paisagem. A tradição de chocolates deliciosos se confirmou logo na chegada. Na própria estação de trem pude me deliciar com vários tipos desta iguaria que sou particularmente apaixonado. As lojas de relógio também estão por todas as partes. É possível encontrar das mais sofisticadas às mais populares, porém todas com modelos pra lá de bacanas. Para quem estava chegando de uma cidade extremamente excitante como Barcelona resolvi encurtar minha estada em Genebra porque a achei apesar de bela, muito entediante. Só me restava então encontrar a forma de chegar a Chamonix. A melhor opção foi mesmo um ônibus. A viagem é rápida (aproximadamente 2 horas) e quanto mais me aproximava, mais encantado ficava com a paisagem. Para quem estava vendo a neve pela primeira vez, a visão daquelas montanhas brancas enormes era de tirar o fôlego. Esta curta viagem me fez relembrar aquele livro que havia lido há uns 7 meses atrás e confirmar que tinha feito uma excelente escolha de roteiro.  



CHAMONIX

Esta cidadezinha ao pé do Mont Blanc (mais alto pico da europa e que deu nome à famosa marca de canetas), é um charme só. Com uma arquitetura maravilhosa e com flores das mais diversas cores espalhadas pela cidade, a sensação é de estarmos em uma cidade de conto de fadas. Chegando à cidade fui direto para o albergue que havia reservado. A experiência não foi muito legal, porque cheguei no albergue por volta das onze da manhã e só poderia fazer meu check in a partir das duas da tarde. Nesse meio tempo fiquei lendo alguns encartes que havia pego na estação rodoviária e outros que haviam no próprio albergue. Como não falo nada de francês, a comunicação ficou um pouco prejudicada. O albergue era bacana, mas possuia alguns fatores negativos: para chegar ao centro era necessário pegar um ônibus ou andar cerca de 25 minutos. Os quartos tinham 4 beliches cada, isto é, você tinha que dormir com mais 7 pessoas. O café da manhã era um pouco pobrezinho, mas tudo bem, eu nunca acordava a tempo de comê-lo mesmo.... De pontos positivos, posso citar a estrutura do albergue, a limpeza, a prestatividade do staff e os encontros noturnos promovidos, onde foi possível fazer alguns colegas e compartilhar várias informações.

                                           
Visão entrada do albergue


Chamonix é considerada uma das melhores cidades para a prática de esqui, e por este motivo as pessoas estão por todas as partes com roupas especiais para este esporte. Além do primeiro contato com a neve, foi a primeira vez que me aventurei a esquiar. Para quem ainda não tentou, a experiência é incrível. 

Outro passeio imperdível é subir ao cume do Mont Blanc, Existe um teleférico chamado "Aigulle du Midi" (agulha do mundo em português), que te leva em poucos minutos ao cume que está a 3842m de altitude. O custo foi de 217 francos. A vista é estonteante e não esqueça todas as roupas de frio possíveis, além de gorros e luvas. A temperatura que estava quando fui era de -17 ºC.


                                           
Teleférico para o cume do Mont Blanc

Depois de conhecer o Mont Blanc e não ter mais pernas para esquiar, minha dica é passear pela cidade e se encantar com sua beleza. Sentar em seus diversos cafés e contemplar o movimento da cidade e seus transeuntes que vêm e vão entre uma pista e outra de esqui é muito relaxante e prazeroso. Além da cidade ser bela, as pessoas que passam por ela também são. 

Hora de ir embora. Próximo destino: Lyon

Albergue em Chamonix:

Chamonix/Mont Blanc

127 Montée J Balmat
74400 Chamonix Mont Blanc - França
Tel. +33 4 50531452 
Fax. +33 4 50559234 
chamonix@fuaj.org


LYON


De Chamonix a Lyon, meu meio de locomoção não poderia deixar de ser o tal trem que havia lido e que foi o principal motivador da minha viagem. Após pesquisar, descobri o "Mont Blanc Express", que além das grandes janelas, possui parte do teto de vidro. A viagem duraria aproximadamente 3 horas e meia e pararia nas seguintes cidades: St Gervais, Bellegarde, Annecy, Aix Les Bains e por último Lyon. O percurso é realmente lindo, passando por vales, montanhas, belos rios, campos floridos etc etc 

Mont Blanc Express

Lyon é Patrimônio Histórico da Humanidade tombado pela UNESCO e a cidade é realmente deslumbrante. Respira-se cultura por toda parte que se vá. A Ópera de Lyon, possui uma programação extensa que agrada a todos os gostos. Quando estava lá, as opções estavam desde o Barbeiro de Sevilha ao Lago dos Cisnes, passando pela orquestra filarmônica da cidade. 

O albergue que fiquei era uma atração à parte. Todas as noites a recepção se tornava um grande local de confraternização, com música e muita bebedeira. Os recepcionistas se tornavam barman e a festa começava. Como a noitada não era muito intensa na cidade, ficar no albergue era a melhor opção. 

                                                          
Recepção do albergue


Andar pela cidade sem rumo é no mínimo excitante. Passando por umas das vielas da cidade fui cair por engano em uma loja medieval, onde a única pessoa que trabalha nela é o próprio dono, que fica vestido a caráter e tem um grande prazer em explicar qualquer mercadoria que lá esteja, seja ela um livro ou até mesmo uma armadura medieval legítima.

A iluminação noturna da cidade é estonteante. Pontes, monumentos, casas, tudo iluminado para valorizar ainda mais a cidade. Os monumentos também são de uma grandiosidade inacreditável. Lyon possui sua própria Catedral de Notre Dame e algumas fontes comparáveis com a Fontana di Trevi de Roma. O rio Rhone dá um charme especial à essa bela cidade. 

                                                           
Praça do Hotel Del Ville


Um bairro da cidade é famoso por seus "muros pintados". São verdadeiras obras de arte de grandes proporções pintados nas paredes de casas e edifícios. 

                                                                         
Um dos edifícios com seu muro pintado

A gastronomia de Lyon é muito rica. Come-se bem de pequenos bistrôs a restaurantes requintadíssimos. Tudo bem que para os padrões brasileiros a quantidade servida em uma refeição francesa deixa a desejar, mas em compensação a mistura de sabores é perfeita. 

Para quem é ligado em cultura e gastronomia, Lyon é um destino que não pode faltar. A cidade oferece tudo o que há de melhor para os gostos mais exigentes. Fica a dica.

Próximo destino: A cidade luz - Paris.

PARIS 

Para ir de Lyon a Paris, não poderia deixar de conhecer os famosos TGV's (trem de grande velocidade). Essas máquinas que correm pelos trilhos a velocidades que podem chegar a 300 km/h sempre me fascinaram. A passagem é mais cara (foi 68 euros), mas em compensação a viagem dura exatas 2 horas. De dentro não se percebe muito a velocidade. Ela fica evidente apenas quando você olha pela janela e verifica a rapidez com que a paisagem vai passando...

Paris é divida em bairros chamados "Arrondissements". Esses bairro são numerados de forma que os números mais baixos (1, 2, 3, 4), são os mais centrais e consequentemente os mais próximos aos pontos turísticos e também os mais caros. Havia reservado um albergue no bairro "Clichy". Era um pouco mais afastado, porém de fácil acesso via metrô. O bairro era ao lado de outros dois famosos bairros de Paris: Pigalle (zona boemia e de prostituição, onde é localizado o cabaré Moulin Rouge) e Montmartre (conhecido pelo comércio e por abrigar a famosa catedral Sacré-Coeur). O albergue era enorme: um edifício de vários andares, com elevador e vários quartos. Fiquem em um quarto com mais 3 pessoas que nunca vi quem eram. Nossos horários eram totalmente diferentes. Uma desvantagem deste albergue é que sua mala não fica em lockers. Voce a deixa no quarto e coloca um cadeado individual. Não me senti nada seguro com isto, porém por sorte nada aconteceu.

Depois de fazer o check in no albergue, pensei: para onde ir? Não hesitei muito. Peguei o metrô e segui rumo ao centro de Paris. Quando chegasse a alguma estação próxima à famosa Champs Elysees, eu desceria. E assim foi, desci na estação Concorde (linha 1) e quando  alcancei a rua a primeira imagem que encheu meus olhos foi o Les Invalides!!!  Sua cúpula dourada do outro lado do rio Sena me deu boas vindas à bela Paris. O Les Invalides se destaca na paisagem de Paris devido a sua cúpula dourada que reflete a luz do sol de forma espetacular! Ele foi construído por Luiz XIV para abrigar soldados feridos em combate, porém hoje sua principal atração é o sarcófago de Napoleão Bonaparte.


Les Invalides

Les Invalides (cúpula)



Logo ao lado do Les Invalides está a majestosa Torre Eiffel. Construída no tempo recorde de 2 anos para a Exposição Universal de 1889, ela não foi pensada para ser um monumento permanente da cidade, mas hoje recebe aproximadamente 4 milhões de pessoas ao ano. Não deixe de subir na torre, porém prepare-se para enfrentar grandes filas. À noite estas filas diminuem e a beleza da vista não se torna menor. Minha dica é chegar ao entardecer, sentar em seus campos abaixo da torre, contemplar um pouco a paisagem e subir após já ter escurecido.


Torre Eiffel

Torre Eiffel


Logo à frente da Torre Eiffel, já do outro lado do Sena, encontra-se o Palais de Chaillot. Do lado de fora, principalmente aos domingos, existe uma enorme concentracao de skatistas e é o lugar preferido de muitos turistas para fotografar a torre. Por dentro abriga 4 museus, 1 teatro e 1 cinemateca francesa.

Uma pequena caminhada te leva ao Arco do Triunfo. Erguido por ordem de Napoleão Bonaparte ele impera oponente no início da avenida Champs Elysees. É permitido subir na plataforma acima do Arco do Triunfo. 


Arco do Triunfo


Arco do Triunfo


A partir do Arco do Triunfo, pode-se fazer uma deliciosa caminhada por toda Champs Elysees e contemplar seus cafés, lojas de roupas, óculos, carros, perfumes, etc. Uma das avenidas mais famosas do mundo, concentra um pouco de tudo e é onde todas as nacionalidades se encontram. A iluminação noturna desta avenida não se pode perder.


Ao final da Champs Elysees, encontramos a Place de la Concorde. Hoje, no meio do intenso tráfego que cerca esta praça, pode ser difícil imaginar esta cena, mas Maria Antonieta e Luis XVI foram guilhotinados nela, na frente de milhares de pessoas no auge da Revolução Francesa.


Place de La Concorde



Seguindo na mesma direção, atravessa-se o Jardin des Tuileries até alcançar o famoso Museu do Louvre com sua maravilhosa pirâmide de vidro. O maior museu do mundo, guarda muitas preciosidades. Uma das mais procuradas é a Mona Lisa de Leonardo da Vinci. Devido ao tamanho do museu, é necessário definir antes o que quer ser visto, porque é praticamente impossível conhecer todo o museu em um só dia. A Vênus de Milo e a VItória de Samotrácia também são esculturas bastantes famosas e procuradas pelos visitantes. Outro museu um pouco menos famoso, porém não menos importante em Paris é o museu D'orsay. Ocupando uma antiga estação de trem, esse museu reúne obras de estrelas como Manet, Monet, Renoir, Van Gogh, Cézanne e Picasso.


Pirâmide do Louvre
Museu do Louvre


Atravessando novamente o Sena, chegamos a duas paradas obrigatórias: Conciergerie e Sainte Chapelle. O primeiro funcionou como prisão e câmara de tortura por mais de cinco séculos e atualmente serve de museu para macabras lembranças do passado. O segundo foi construído por ordem do rei Luis IX para abrigar a coroa de espinhos e outras relíquias de Cristo. Nada menos que 1134 cenas bíblicas (do gêneses ao apocalipse), são ilustradas nos 16 vitrais que estão nesta capela.

Seguindo o leito do rio Sena chegamos à espetacular Catedral de Notre Dame. Sua arquitetura que mistura estilo romântico e gótico é de cair o queixo. É possível subir na torre (386 degraus) e contemplar uma bonita vista de Paris. Esta catedral demorou quase 200 anos para ficar pronta, porém seu resultado final é de impressionar.




Catedral de Notre Dame


Catedral de Notre Dame


Outra atração da cidade é a Ópera de Paris. Seu prédio que lembra um bolo de noiva abriga o teatro lírico de Paris. Seu interior também é de uma beleza ímpar e é possível fazer uma visitação guiada. Próximo à ópera de Paris encontra-se a famosa Galeria Lafayette. O paraíso das compras está abrigado em um suntuoso prédio de vários andares com uma cúpula feita de vitral que dá mais charme ainda ao ato de comprar. Nesta galeria encontra-se todos os tipos possíveis e imagináveis.


Ópera de Paris

Galerias Lafayette

Que Paris é a capital da moda não há duvidas. Além de abrigar o calendário mais importante da moda mundial, vários estilistas e lojas famosas possuem aqui seu quartel general. Ruas como a St Honorée abrigam lojas sofisticadíssimas. Para quem gosta de estar usando a última tendência e possui recursos para isto, Paris é a cidade certa.

O bairro do Pigalle, onde está localizado o famoso Moulin Rouge, concentra parte da boemia Parisiense e é a zona do baixo meretriz. A prostituição aqui corre solta. e o mais curioso é que está ao lado do bairro de Montmartre com sua belíssima catedral do Sacré Coeur. Da catedral é possível ter uma bela vista de Paris. Quando estive visitando tinha um artista tocando canções belíssimas em uma harpa. Foi a combinação perfeita: me sentei na escadaria da catedral e contemplando aquela paisagem fantástica me deixei levar por aquelas músicas... Um fim de tarde inesquecível.


Moulin Rouge



Agora o mais importante de tudo. Reserve um dia para ir até o Palácio de Versailles que fica apenas a 50 km de Paris.  Símbolo máximo da grandiosidade e do luxo francês e pano de fundo para o fim da monarquia no país este lugar é indescritível. Loucura ou não do rei Luis XIV (quem ordenou transferir a corte para este lugar que até então era um pântano), a sensação que se tem visitando este lugar é de inferioridade. Os enormes jardins, com sua perfeição simétrica são um exagero. As flores com todas suas nuances de cores são maravilhosas. A construção do Palácio é deslumbrante. Tudo por aqui é superlativo. Para mim, a maior de todas as surpresas de Paris foi Versailles.


Versailles


Versailles

Jardins Versailles



Jardins Versailles


   
Este pequeno roteiro sugerido, mostra alguns dos mais importantes pontos de Paris, porém a cidade luz possui ainda muita coisa a ser vista (museu Rodin, Centre Georges Pompidou, Cemitério du Pére Lachaise, Hotel del Ville, etc etc). Meu conselho é que seja feito um roteiro de acordo com o que mais lhe interessa.

A noite Parisiense que a princípio se mostra um pouco tímida, foi uma das mais loucas que já presenciei. Conheci lugares inacreditáveis, mas para não estender demais, quem quiser dicas sobre as baladas de Paris, me enviem questionamentos por email. 

Andar em Paris de metrô é muito fácil, pena que ele para de circular cedo. De madrugada o táxi é inevitável. Paris também reúne uma das mais requisitadas cozinhas do mundo, porém como sou meio pão duro para gastar em restaurantes chiquérrimos, não sou a melhor pessoa para falar da parte gastronômica.


Albergue em Paris: 
Paris - Clichy
107 Rue Martre
92110 Paris
Tel + 33 1 41272690
paris.clichy@fuaj.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário