Select the Language

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

New York

Após um pouco de resistência, em 2003 resovi conhecer a terra do Tio Sam. Minha viagem foi no mês de setembro e estaria completando 2 anos da catástrofe ocorrida no World Trade Center. Apesar desses 2 anos a imigração ainda estava bem seletiva. Vi algumas pessoas à minha frente na fila, sendo levadas para uma entrevista antes de serem liberadas para entrar no país. Por sorte minha entrada foi liberada sem problemas. Me informei da melhor forma em se chegar ao centro de Manhattan e me sugeriram uma Van que deixava os passageiros na porta dos respectivos hotéis e por um preço excelente. De novo me dei bem! Paguei muito menos que um táxi e fiquei na porta do meu Albergue. O mais engraçado era que nesta van existia todo tipo de pessoa, das mais simples às mais sofisticadas. Um famoso estilista brasileiro (prefiro não citar o nome), estava sentado ao meu lado nesse nosso democrático meio de transporte!!!

O albergue escolhido foi o "Chelsea Star Hotel". A princípio, o motorista entendeu que ficaria no Hotel Chelsea, que é um ótimo hotel de NYC. Quando me deixou na porta, assustei com a entrada sofisticada e perguntei ao motorista se ele tinha certeza que havia me deixado no hotel certo. Estava com o endereço em mãos e após checarmos vimos que o meu estava duas quadras acima. Melhor assim, porque não teria grana para pagar toda aquela sofisticação rsrsrs. Apesar de ser um albergue o Chelsea Star é bacanérrimo. Possui vários quartos individuais, e estes são de decoração no mínimo curiosa! São todos temáticos e os temas vão de Salvador Dali a Betty Boop. Os quartos compartilhados possuem 4 beliches cada. A localização é o grande diferencial deste albergue. Fica na 30th com a 8th Ave. Do hotel se vai a grande parte dos pontos turísticos de NY a pé.

Entrada Albergue



New York está dividida em cinco grandes distritos: Manhattan, Broolkyn, Staten Island, Bronx e Queens. Já a ilha de Manhattan possui 4 grandes regiões: Do norte para o sul: Harlem, Uptown, Midtown e o Downtown. As maioria das avenidas e ruas são numeradas segundo a ordem que aparecem, de forma que as avenidas cortam a ilha no sentido Norte-Sul e as ruas no sentido Leste-Oeste. A quinta avenida divide a ilha em leste (east side) e oeste (west side). Devido a esta disposição, andar em Manhattan é uma mamata. A malha metroviária também facilita muito. Apesar de muito sujo e feio o metrô de NY te leva a qualquer lugar. É possível compra um cartão (metrocard),  que garante várias viagens no mesmo dia, semana ou mês. Aconselho a aquisição deste cartão, porque certamente você usará o metrô por muitas e muitas vezes.

Depois de estar acomodado no albergue, era hora de bater perna e conhecer NY. Por saber da dificuldade de assistir alguns espetáculos, minha primeira providência foi ir até a Broadway selecionar quais gostaria de assistir e garantir meus ingressos. O plural virou singular imediatamente após checar os preços dos ingressos e logo passei de "espetáculos", para um único espetáculo e o escolhido foi o clássico " O Fantasma da  Ópera". O preço pago na ocasião foi de U$ 55,00 em uma época que a relação do dólar com nossa moeda não era nada favorável e o assento era na platéia superior, isto é, longe da turma do gargarejo!!! O que tenho a dizer? O espetáculo valeu cada dólar pago e hoje considero um dos melhores espetáculos que já assisti na minha vida.

Após garantir meu ingresso, caminhei até a famosa Times Square. Esta praça localizada na junção da Broadway com a Sétima Avenida é mundialmente famosa por seus iluminados painéis anunciando as mais diversas empresas. Diz a lenda que é o espaço mais caro do mundo para se anunciar mas a única certeza que tive é que é uma confusão de cores e luzes que mais vale a tradição do que o próprio anúncio em si.


Times Square


Bem pertinho da Times Square, lá estava ele: o imponente Empire State Building! Com seus 102 andares, hoje é de onde se tem a mais bela vista de NY. Naquele ano pagava-se U$ 11,00 para subir ao topo do edifício. A subida é feita em duas etapas. A primeira até o 86º andar, onde o mirante é aberto. A segunda até o 102º andar, onde possui uma proteção de vidro. Principalmente aos finais de semana a paciência é testada para se chegar ao topo devido às enormes filas de turistas, mas a vista vale o esforço! Outro edifício que chama atenção na paisagem de Manhattan é o Chrysler Building. Com 77 andares reinou sozinho até 1931 como o prédio mais alto do mundo. Foi desbancado neste ano, após a inauguração do Empire State.

Lobby Empire State Building
Empire State

Vista alto do Empire State





Chrysler Building


Indo em direção ao norte de Manhattan, existem 3 lugares que merecem ser visitados: a New York Public Library, o Grand Central Terminal e o Rockefeller Center. A Biblioteca Pública é um palácio grandioso, com estátuas e fontes ornamentais e obras raras, como a Declaração da Independência, escrita por Jefferson de próprio punho. Este espaço é muito utilizado para pesquisas. O Grand Central Terminal é um daqueles lugares que você se sente bem pequenininho diante das proporções do espaço. Trata-se da estação central de trens e possui uma arquitetura maravilhosa. Seu relógio de quatro lados situado sobre o posto de informações é figurinha repetida em muitos filmes americanos. O Rockefeller Center, é um conjunto de 19 edifícios e é um daqueles lugares que quando você chega logo pensa: Estou em Nova York!!! No inverno, o espaço se torna uma movimentada pista de patinação no gelo e é também neste lugar que inaugura-se anualmente a famosa Árvore de Natal de NYC.

Biblioteca Pública

Grand Central Terminal

Rockefeller Center


Um pouco mais ao norte, chega-se na grande válvula de escape dos novaiorquinos: O Central Park. Ocupando aproximadamente 3,4 Km quadrados, o Central Park é um colírio para os olhos no meio da selva de pedra. As tradicionais carruagens são uma forma gostosa de passear pelo parque. Caminhar por ele também é uma excelente opção, mas devido ao seu tamanho, uma pesquisa prévia para definir o que ser visto é recomendável. Muitos são os que possuem interesse em visitar o edifício Dakota, onde John Lenon viveu e foi assassinado. Se é o seu caso, o edifício fica na rua que margeia o lado esquerdo do parque, próximo ao Columbus Circle. Próximo também está o sofisticadíssimo Plaza Hotel que ficou imortalizado no filme "Esqueceram de Mim". Quase ao lado do hotel também fica a loja de brinquedos do segundo episódio do filme. É a Fao Schwarz e é impossível não voltar a ser criança dentro desta loja.


Carruagens à porta do Central Park


Central Park

Central Park
Interior loja Fao Schwarz


Museus por Nova York é o que não falta. Caso esteja nos planos conhecer alguns museus, fica a dica dos mais importantes: Metropolitan Museum of Art (1000 Fifth Avenue), Guggenheim Museum (1071 Fifth Avenue), Cooper-Hewitt Museum od Design (2 E91st Street), American Museum of Natural History (79th Street - central park west), Whitney Museum of American Art (945 Madson Avenue) e o Museum of Modern Art (11W53rs Street).


Na parte sul da ilha, estão localizadas outras importantes atrações de Manhattan. Um dos mais tradicionais destinos partindo do sul é a Estátua da Liberdade. Para chegar até ela, pegue a linha 1 ou a linha 9 do metrô e vá até a última estação sul. Siga caminhando até o Battery Park que é de onde saem os ferry boats. Você pode optar em descer apenas na Estátua da Liberdade, ou também acrescentar uma parada em Ellis Island. Aconselho fazer as duas paradas, porque a história da Ellis Island e seu museu dos Imigrantes, e a vista que tem-se de Manhattan são interessantíssimas. Antigamente era permitido subir na coroa da Estátua que possui 46 m de altura, porém hoje não é mais.


Estátua da Liberdade

Estátua da Liberdade

Vista de Manhattan


Museu dos Imigrantes em Ellis Island




Quando descer do ferry que te trouxe do passeio à Estátua da liberdade, estará a poucos quarteirões do Distrito Financeiro de Manhattan, com sua famosa Wall Street. Confesso que é uma visita frustrante, já que não há nada que se ver ou fazer nesta região. O máximo que pode acontecer é tirar uma foto naquele famoso touro que simboliza a força americana. Será que este significado ainda existe?





Seguindo em direção ao norte, chega-se inevitavelmente ao espaço onde ficavam as torres gêmeas do World Trade Center. Para os que acreditam, tive uma experiência um pouco sinistra quando estive lá. Estava andando meio sem rumo para o norte, porque tinha perdido meu mapa no metrô a caminho da Estátua da Liberdade, portanto não sabia direito onde estava, e também não estava me preocupando com isto, porque não tinha nenhum compromisso a cumprir. De repente senti um calafrio estranhíssimo no meu corpo. Sem entender aquilo continuei andando e após uns 20 metros me deparei com aquele vazio que era o espaço deixado pela queda das torres. Logo entendi o porquê do calafrio. Realmente naquele ano, existia uma energia meio estranha naquele lugar. Era uma mistura de dor com perplexidade e ao mesmo tempo, vários ambulantes vendendo DVDs com cenas da catástrofe e tentando ganhar dinheiro às custas da dor dos outros.
Bom, o fato é que o que ainda restava naquele lugar em 2003 era um monte de escombros. Já voltei em NYC outras vezes e hoje é um grande canteiro de obras para reerguer aquele espaço. Em minha última visita à cidade, já haviam duas novas torres quase finalizadas, ocupando o lugar das torres antigas.


Prédio que está sendo construído no lugar do WTC (mar/2012)

Paro aqui para falar um pouco sobre compras em NY. Nao é exagero nenhum falar que New York é o paraíso das compras. Por lá compra-se de tudo a preços inacreditáveis. Já logo dou a dica do Outlet chamado Century 21 que fica em frente ao Ground Zero. É um prédio de uns 8 andares que vende-se de tudo a preços ainda menores que nas lojas. Nos outlets convencionais, achamos marcas mais comuns, como GAP, Adidas, Nike, Timberland etc etc. Já neste Century 21 encontramos estilistas mais sofisticados, como Jean Paul Gaultier, Roberto Cavalli, Versace, etc. O Outlet é uma bagunça e é preciso garimpar muito, porém garanto que vale a pena. Tenho um amigo que vive em NY há varios anos e ele diz que é muito comum achar vários globais que vão a esta loja quando estão nos Estados Unidos para estarem vestindo os estilistas do momento. Se é verdade ou intriga deixo para lá, mas fica a dica. Outro lugar excelente para comprar é a Macy's. Uma mega loja de departamento onde também é possível encontrar todos os grandes estilistas. Fica na rua 34 e não é um outlet, mas os preços são excelentes. Para comprar eletrônicos, existe uma loja de judeus que fica na mesma rua onde os preços são ainda melhores que os Best Buys da vida.  Não lembro o nome da loja mas não é difícil encontrá-la. Enfim, prepare os cartões de crédito porque ter aquela sensação de carregar milhões de sacola ao estilo "Pretty Woman" em NYC é uma realidade!!!

Um lugar extremamente agradável e próximo ao Ground Zero é a ponte do Brooklin. Além da ponte em si ser maravilhosa, é um lugar onde as pessoas vão caminhar ou correr, passear com os cachorros ou até mesmo atravessá-la para ter uma visão privilegiada de Manhattan. Esta é uma caminhada que vale a pena!


Brooklin Bridge


Brooklin Bridge



Mais ao norte, chega-se a bairros interessantes como Chinatown (com seus chineses falando alto e suas falsificações quase perfeitas de grifes famosas), Soho (um delicioso bairro para caminhar e apreciar suas lojas, bares e pessoas descoladas que vêm e vão), Little Italy (como o próprio nome já diz, uma pequena comunidade italiana no meio de Manhattan) e Greenwich Village.

Ainda não estive em NY no inverno, porém no verão a cidade ferve. Os piers do lado Oeste da cidade (próximo à décima avenida), estão sempre muito cheio de pessoas fazendo picnic, tomando sol, pedalando, passeando com os cachorros e afins. A noite de Nova York sempre foi muito agitada apesar de ter a opinião que no passado ela já foi melhor. A cidade que nunca dorme proporciona opções para todos os gostos possíveis e imagináveis. Considero NY uma cidade segura, onde a ação policial eh bastante ostensiva. Não é permitido beber na rua, logo nem pense em entrar em uma loja de conveniência, pegar sua long neck e sair bebendo pela rua em direção à balada. Você certamente será interceptado pela polícia.

A maioria de prestadores de serviços em New York é de imigrantes latinos, logo não se preocupe se seu inglês não é o melhor que existe. Sempre que estiver dentro de uma loja, farmácia, padaria etc e tiver dificuldade em comunicar, solte um portunhol que certamente alguém o socorrerá.

NY é fascinante e inúmeras são as publicações que falam sobre a cidade, mas a sensação que tenho é que por mais que se escreva, ainda terão coisas a ser ditas sobre a Big Apple.

Voltei outras quatro vezes a NYC, mas entro em detalhes em um novo post.

Albergue em NYC:
Chelsea Star Hotel
300 West 30th (at 8th Ave)
Fone 212.244.7827
www.starhotelny.com


Mapa metrô NYC
http://www.mta.info/nyct/maps/submap.htm

Um comentário:

  1. Uma boa dica para quem quer pagar menos pelos espetáculos da broadway é comprar os ingressos no TKTS, pelo o que eu me lembre há 3 postos em NY.
    Ou vá à bilheteria do teatro no dia do espetáculo e pergunte pelos "students rush tickets" eles custam em torno de U$20,00 e são vendidos horas antes. Um amigo meu de NY que me deu essa dica, todos os espetaculos que eu vi foram com esses ingressos. É muito difícil você nao conseguir pois são poucas as pessoas que sabem disso.

    ResponderExcluir